Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
A CULTURA POPULAR – A BENZEDURA
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

A CULTURA POPULAR – A BENZEDURA

A CULTURA POPULAR – A BENZEDURA

(falando de heranças culturais...)

As crendices (como as superstições) são heranças de um tempo longínquo e se apresentam na forma de mágicas, rezas, oferendas, amuletos, adivinhas, etc. Elas se fazem presente, para ajudar o homem a entender e atender desejos “imediatos”. E, não raro, para explicar o inexplicável...


Conforme nos fala Câmara Cascudo, “as crendices resultam essencialmente do vestígio de cultos desaparecidos, deturpação ou acomodação psicológica de elementos religiosos contemporâneos, condicionados à mentalidade popular”. Elas acompanham o ser humano através dos tempos, intimamente ligadas às suas ações e reações.

As benzeduras são um exemplo. O benzedor (a) realiza o ato, quase sempre tem um pequeno “altar” de onde tira vários objetos, além de imagens de santos, rezas secretas murmuradas, imposição das mãos, etc.
De um modo geral, em uma benzedura, utilizam tesoura, faca, agulha, copo de água, cruz, ramos verdes, fogo, velas, entre outros. Muito comum os objetos cortantes, numa necessidade de “cortar” o mal.
A água é a purificação, associada ao mistério e princípio da vida.
O ramo verde (alecrim) traz sorte, saúde, prosperidade e proteção.
O fogo representa o poder de regeneração e renovação. Possui a força da destruição. Representa o sacrifício espiritual. A exemplo do Antigo e Novo Testamento, é o elemento que purifica, limpa, tendo o poder de separar o puro do impuro. Muito comum a várias culturas.
As orações (geralmente sussurradas e muito rápidas) têm sempre uma ligação à Bíblia Sagrada, Salmos, além do Pai Nosso e a Ave Maria.
De um modo geral, os benzedores não revelam suas “orações” pois, acredita-se, ao revelarem perderiam seus poderes.
Mas, é importante dizer, as benzedeiras têm grande destaque e uma função social importantíssima na comunidade, sendo procuradas por todas as camadas sociais.

No livro “Raízes de Capão da Canoa” (EST – Porto Alegre – 2014), com muita propriedade a professora Neusa Marli Bonna Secchi (também membro da Comissão Gaúcha de Folclore) traz um importante documento sobre o assunto que, como sabemos, está intimamente ligado aos assuntos da história do Rio Grande do Sul... a nossa terra!
Da sabedoria dos almanaques: não basta conquistar a sabedoria; é preciso saber usá-la.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para A CULTURA POPULAR – A BENZEDURA

Enviando Comentário Fechar :/

Últimas Notícias

Matérias de Capa

PUBLICIDADE Jornal Nova Época