Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
APETITE POR FAZER BEM FEITO
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

APETITE POR FAZER BEM FEITO

APETITE POR FAZER BEM FEITO

Na virada de 2016 para 2017, um canelense de 14 anos foi a Dubai visitar um ex-colega de escola e, dentre tantas coisas interessantes para ver nas semanas em que esteve lá, reservou um tempo para observar a culinária cosmopolita do lugar e aprender a preparar a pasta (de origem israelense) hummus. Era a gastronomia sinalizando um caminho que o garoto poderia percorrer. Antes disso, crescer vendo o pai, Bira Gil, cozinhar muito bem e ler seus livros de culinária talvez tenha sido o embrião de uma futura carreira para Martim Meimes Gil.

Passados cinco anos, Martim ainda não é um gastrólogo - oficialmente falando, porque o certificado estará na parede quando concluir o curso de Gastronomia da UCS Região das Hortênsias -, mas o resultado dos seus preparos quase diários mostra que muitas etapas no seu crescimento ele já ultrapassou como autodidata.

APETITE POR FAZER BEM FEITO
Martim em Budapeste, em uma de suas viagens
Foto: Divulgação

APETITE POR FAZER BEM FEITO
Foto: Victor Foss / Digital Essence


UM HÓSPEDE DE MÃO CHEIA

em casa ou no mundo, Martim sempre esteve de antenas ligadas (melhor não seria “de facas afiadas”?) para tudo que significasse aprendizado na culinária. Uma temporada na República Tcheca, de agosto de 2019 a julho de 2020, significou aulas práticas de forno, fogão e grelha, com um detalhe: além de aprender, Martim também mostrou o que já sabia fazer. Abrindo parênteses: não foi com o intuito de se aprofundar na gastronomia que Martim partiu para um ano em Praga e redondezas, como intercambista do Rotary. Foi para passar um ano inesquecível e aprender muito da cultura europeia. No entanto, se preparou para cozinhar comida gaúcha e brasileira sempre que houvesse oportunidade.

Na casa onde ficou nos três primeiros meses, isso aconteceu uma vez por semana. Já com a segunda família hospedeira, por causa do horário de escola Martim muitas vezes não almoçava com seus hosts, ficava um bom tempo sozinho e aproveitava para pesquisar comida tcheca e internacional. Em uma cidade com tamanha oferta como aquela em que estava, o canelense experimentou a culinária grega, coreana e do Oriente Médio. O processo de amadurecer o paladar continuou de forma interessantíssima com a última família que o recebeu e com os quais, devido à pandemia de covid-19, Martim passou um mês e meio em uma residência nas montanhas. Em meio à criação local de cordeiros e peixes, Martim Gil aprendeu “in loco” o que é o conceito farm to table (da fazenda à mesa), e não se furtou de provar iguarias exóticas, como a gelatina (colágeno) de carne e um misto de cebola e linguiça curtidas em vodka. Antes do retorno para casa, viagens rápidas a Hungria e Áustria também serviram como pequenas explorações às suas gastronomias autênticas.

De volta a Canela, Martim terminou o Ensino Médio e ingressou em Comércio Exterior na Feevale. Em abril de 2022, quando ele se transferiu para a UCS local, o mundo das transações internacionais perdeu um futuro profissional, mas o da alta gastronomia ganhou um talento. Foco finalmente ajustado para transformar o hobby em profissão, Martim (que também é diagramador no Nova Época) usa a boa cozinha de casa como extensão daquela dos professores. E também a internet, outro capítulo dessa história.


ELE QUER TER UM MILHÃO DE AMIGOS

afrase é do Roberto, mas Martim vai chegar lá em número de seguidores. Tudo começou de forma não intencional. Na noite em que se oficializou a transferência de curso, ele gravou um vídeo preparando o jantar e o enviou para Duda, a namorada. Por sugestão dela, Martim postou no Instagram e no TikTok.

Para surpresa dos Gil, aquele vídeo registrou em poucas horas um número altíssimo de visualizações, hoje somando mais de 1 milhão. No dia seguinte, Martim foi às compras e registrou a confecção de mais um prato. Novo sucesso, que deu início a uma série de postagens. A surpreendente estatística de Martim na rede social e no aplicativo, após 49 vídeos em três meses, mostra que ele conquistou um público cativo de 540 mil seguidores, 65 milhões de visualizações e 8,9 milhões de likes. É postar e ver o contador disparar.

Os reflexos desta notoriedade Martim já tem sentido ao vivo, sendo reconhecido fora de Canela. Já foi contatado por uma agência de São Paulo que gerencia carreiras de seletos e promissores talentos, de diversos ramos, nas redes sociais.

APETITE POR FAZER BEM FEITO
Foto: Victor Foss / Digital Essence


OS SEGREDOS DO SUCESSO

• A qualidade das receitas e a maneira desmistificada de prepará-las.

• Além do tempero dos pratos, o temperamento do cozinheiro. Martim é comedido, não tem blog, mostra mais do que fala. Só bem recentemente acrescentou áudio em seus vídeos.

• A dinâmica dos vídeos, que ele mesmo edita. São rápidos e precisos, mostrando todo o processo em um minuto ou pouco mais, mesmo em se tratando de pratos complexos como um Beef Wellington.

• Aos 19 anos, Martim serve de inspiração para os jovens da sua faixa etária.

Siga nas redes:
Tiktok: @martimmgil
Instagram: @martim.gil_

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para APETITE POR FAZER BEM FEITO

Enviando Comentário Fechar :/

PUBLICIDADE Jornal Nova Época