Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
Canelenses mantêm viva a tradição
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Canelenses mantêm viva a tradição

O Dia do Gaúcho é comemorado na segunda-feira (20), um feriado com múltiplos significados para a cultura gaúcha. A data recorda a Guerra dos Farrapos, em 20 de setembro de 1835. Pertencer a um conjunto de hábitos regionais é extremamente significativo a grande parte dos gaúchos, principalmente para os tradicionalistas, que se dedicam a cultivar os hábitos dos primeiros habitantes do pampa.
Para celebrar a data, o CTG Querência promove atrações presenciais. No sábado (18), ocorrerá um Show com Volnei Gomes e o Grupo Cantando o Rio Grande, às 20h. Já na segunda-feira, acontecerá o tradicional Desfile Farroupilha, a partir das 15h.
Além da programação do CTG Querência, a Prefeitura de Canela, por meio da Secretaria de Turismo e Cultura, propõe uma série de atividades on-line. O encerramento da programação virtual ocorre na segunda-feira (20), com palestra Retratos do Gaúcho do Além-Fronteira, do jornalista Márcio Cavalli, além de dança e declamações com o conjunto folclórico Os Tapejaras.

“SOU APAIXONADA PELA CULTURA GAÚCHA E PELO TRADICIONALISMO”

Quando tinha apenas seis anos de idade, a estudante de História Ana Caroline Hoffman começou a se interessar pelas tradições gaúchas. Hoje, ela faz parte do Departamento Artístico e Cultural do CTG Querência e comenta como o tradicionalismo é relevante em sua vida. “O tradicionalismo foi e ainda é muito importante para mim. Me ensinou muita coisa. Deu-me amigos e pessoas que tiveram um cuidado especial desde quando eu entrei na invernada, ainda criança”, declara.

Canelenses mantêm viva a tradição

ANA Caroline Hoffman participa do CTG Querência desde a infância


O 20 de setembro para Ana é uma data sobre liberdade e igualdade. “Sou apaixonada pela cultura gaúcha e pelo tradicionalismo. Nesse dia é comemorada a luta do nosso povo por um ideal. A batalha de uma geração que foi atrás de suas convicções e direitos”, manifesta.
O ano de 2020 foi atípico e grande parte dos eventos comemorativos de 20 de setembro tiveram de ser remodelados ou cancelados. Ana fala a respeito das consequências desse hiato nas celebrações. “A pandemia alterou e muito a cultura gaúcha. Os CTGs tiveram que se reinventar para não fecharem suas portas. Foi um período difícil para todos, sem poder fazer bailes, apresentações, rodeios, porém acredito que as entidades sairão mais fortes após passar por tantas dificuldades”, diz.

“PASSAMOS 365 DIAS DO ANO TRABALHANDO”

Jeferson Lodéa é o patrão do CTG e tem uma bela trajetória com as tradições gaúchas. “O tradicionalismo em minha vida é muito especial. Nele, encontramos respeito, companheirismo e cumplicidade. É dia de relembramos nossos heróis farroupilhas que lutaram bravamente para hoje sermos um povo livre”, declara.
Sobre a preservação das tradições, Jeferson manifesta a luta diária para manter os costumes vivos. “O tradicionalismo vem a cada ano perdendo sua força. Muitas atividades deixaram de serem culturais para se tornarem esportivas, o que acaba enfraquecendo nossa cultura e elevando os custos dos eventos. Muitas pessoas não se dão conta que ser gaúcho não é só em setembro. Passamos 365 dias do ano trabalhando para manter de pé as nossas raízes”, explica.

Canelenses mantêm viva a tradição

JEFERSON Lodéa é patrão do CTG Querência


Neste período de pandemia, o CTG também sofreu conseqüências. Jeferson explica como foi enfrentar as dificuldades e as expectativas para daqui para frente. “O CTG é como uma empresa que tem seus custos, sem os eventos fica difícil. A expectativa é que em outubro já comece esse retorno de forma gradativa e que, em janeiro possamos, realizar a 37ª edição do Rodeio Nacional de Canela”, diz.

CULTURA GAÚCHA E ANCESTRALIDADE

Márcio Cavalli é um autodidata nos assuntos da cultura gaúcha. É curador da Semana Farroupilha de Canela há quatro anos, além de atuar como jornalista, professor, memorialista, escritor e instrutor de danças gaúchas de salão. “O gosto pela tradição me puxa a uma profundidade nos estudos em todos os sentidos. Impregnar a cultura gaúcha me uniu à minha ancestralidade e ao chão nativo”, diz. Para Márcio, o Dia do Gaúcho ainda é uma data ainda muito mistificada, com lacunas importantes no que diz respeito à identidade regional. “O 20 de Setembro é alusivo ao início da Revolução Farroupilha. Isso fez com que se fortalecesse um mito em torno da figura do gaúcho e da própria guerra. A Revolução Federalista foi muito mais importante para o Rio Grande do Sul. Trata-se ainda a Guerra dos Farrapos como se dela dependesse toda a nossa cultura, o que não é verdade. O conflito foi real, mas não deve ser encarado como algo mítico”, manifesta.

Canelenses mantêm viva a tradição

MÁRCIO Cavalli é curador da Semana Farroupilha de Canela há quatro anos


A Semana Farroupilha de Canela é novamente realizada de forma remota, assim como no último ano. “Houve uma queda orçamentária do Município e por não conseguirmos cumprir protocolos que não podem ser alterados de um dia para o outro, em 2021, o evento acontece de forma on-line”, explica Márcio.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Canelenses mantêm viva a tradição

Enviando Comentário Fechar :/

Últimas Notícias

Matérias de Capa

PUBLICIDADE Jornal Nova Época