Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
O COELHO, A LEBRE, O GATO...
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

O COELHO, A LEBRE, O GATO...

O COELHO, A LEBRE, O GATO...

(Informando e lembrando...)


O coelho: é comum a muitos países, principalmente na Austrália, onde foi levado pelo europeu no passado. Disseminou-se de tal forma que chegou à classificação de “praga da agricultura”.

A lebre: é selvagem e comum na Europa e nas Américas, com uma população muito grande no Sul do Brasil, nas costas de matos e nos campos, nas proximidades de lavouras. Tem as orelhas e as pernas mais compridas que o coelho. Muito provavelmente, é o “coelho” abatido com frequência em filmes de farwest americano. São, tanto um quanto o outro, animais de grande poder de procriação, daí a rápida disseminação.

Não compre gato por lebre (ou coelho)
Parece brincadeira, mas não é e, os menos avisados, ainda podem cometer este engano. Lembre-se: não é a toa que, até os dias de hoje, quando alguém é passado para trás em um negócio, se diz: comprou gato por lebre!
Assim, ao comprar coelho (ou lebre), comece observando as patas do animal. Os vendedores de boa fé costumam abater o animal e deixar as patas. Se não, observe o teor de gordura da carne. Tanto a lebre quanto o coelho são muito magros e quase não apresentam gorduras. O gato, ao contrário, tem a carne bastante gorda. Se você ainda tiver dúvidas, conte as costelas do animal antes da compra. Assim, não há como errar. O segredo: o coelho (ou a lebre) tem 12 pares de costelas. O gato tem 13.

Agora que sabemos as diferenças, vamos a uma receita


Coelho ao vinho tinto

Ingredientes:
1 coelho partido em pedaços, 100 ml de azeite, 1 copo de vinho tinto1 cebola picada, 2 dentes de alho picados, 1 folha de louro, 50g de bacon cortado em cubinhos, meia perna de linguiça cortada, 2 tomates (maduros) cortados em cubinhos, salsa picada, sal e pimenta a gosto.

Preparação:
Tempere o coelho com sal, pimenta e mexa bem. Numa panela larga, aqueça bem o azeite e junte a cebola, o alho, o louro, o bacon e a linguiça. Refogue até dourar tudo. Junte os pedaços do coelho e deixe ganhar cor, mexendo para fritar por igual. Acrescente o tomate e regue com o vinho, o suficiente para cobrir o coelho. Tampe a panela e deixe cozinhar cerca de 25 / 30 minutos. Quando o coelho estiver tenro, junte a salsa, mexa e sirva em seguida. Pode ser acompanhado por batata frita.

O coelho, ao contrário do que vemos hoje, tem grande participação na culinária gaúcha e, juntamente com a arisca lebre (mais conhecida por “lebrão”), tem lugar de destaque entre os quitutes que forram as mesas no Rio Grande do Sul... a nossa terra!

Da sabedoria dos almanaques: Quanto menor o número de dentes, mais larga é a goela.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para O COELHO, A LEBRE, O GATO...

Enviando Comentário Fechar :/

Últimas Notícias

Matérias de Capa

PUBLICIDADE Jornal Nova Época