Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
Pedágios privados devem melhorar estradas e oferecer mais serviços
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Pedágios privados devem melhorar estradas e oferecer mais serviços


Os estudos para a concessão das rodovias pedagiadas no Estado estão em fase avançada e passam por avaliação popular. O governo gaúcho busca privatizar 1,131 mil quilômetros de 20 estradas em todo o Rio Grande do Sul. Canela está incluída no Bloco 1, com previsão de R$ 3,9 bilhões de investimentos em até 30 anos. Também fazem parte deste bloco as cidades de Parobé, Santo Antônio da Patrulha, Viamão, Três Coroas, Gramado, Taquara, Morungava e Gravataí. As rodovias inseridas neste contexto são a ERS-020, ERS-040, ERS-115, ERS-118, ERS-235, ERS-239, ERS-466 e ERS-474. Juntas, essas rodovias atingem 13% da população gaúcha, conforme dados da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado.
A licitação fixa melhorias como tapa-buracos, sinalização e pintura das pistas no primeiro ano de privatização. Do segundo ao quinto ano, a projeção é de recuperação da malha asfáltica da região totalizando um investimento privado de R$ 1,6 bilhão. Depois, o projeto prevê a duplicação, criação de terceira faixa acostamento em vários pontos das rodovias. A intenção é de que em até três décadas, 73% da malha viária do Bloco 1, esteja com pistas duplas.


TARIFAS
O levantamento feito pelo do governo gaúcho e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) apontou valores máximos e mínimos, conforme o perfil do trecho da rodovia onde cada praça de pedágio está inserida. Se a rodovia tem mais trechos simples do que duplicados, a tarifa é 30% menor que a tarifa de pista dupla. Se ocorre o inverso, a tarifa é mais alta. Entre os critérios para vencer o certame licitatório, as empresas devem apresentar proposta com maior desconto na tarifa de pedágio limitado em 25%. Com isso, o pedágio de Três Coroas/Gramado poderá passar dos atuais R$ 7,90 para no mínimo R$ 5,73 e no máximo R$ 7,64. Na praça de Gramado/Nova Petrópolis o valor de R$ 7,90 poderá ser modificado para até R$ 7,72 e no mínimo R$ 5,79. No pedágio de São Francisco de Paula/Canela a tarifa mudará de R$ 7,90 para no máximo R$ 7,53 ou no mínimo R$ 5,65. Com as mudanças, o governo estadual espera fortalecer a cadeia turística, proporcionar mais segurança aos usuários das rodovias e, consequentemente, diminuir os riscos de acidentes, além de oferecer mais serviços como guincho, socorro médico, posto de parada, criação de mais acostamentos, entre outros. A tendência é de que a concessão das estradas pedagiadas também fortaleça a economia e gere mais empregos.

Pedágios privados devem melhorar estradas e oferecer mais serviços

CANELA busca uma série de melhorias para a ERS-235, entre o Canelinha e o Saiqui

REUNIÃO DA AMSERRA VAI DEFINIR POSICIONAMENTO REGIONAL

Na próxima sexta-feira (30), a Associação dos Municípios de Turismo da Serra (Amserra), em reunião que será realizada em Picada Café, deverá se posicionar quanto a proposta do Palácio Piratini referente à privatização das rodovias da região. O presidente da entidade e prefeito de Canela, Constantino Orsolin, não quis se manifestar sobre o tema do encontro, mas adiantou que Canela seguirá as diretrizes deliberadas pela Amserra. A expectativa é de que o edital para concessão das estradas seja lançado até o fim de setembro. No contexto das concessões, está a extinção da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), que atualmente administra a maioria das estradas que integram o pacote.
O encerramento das atividades da EGR acontecerá quando as empresas vencedoras dos leilões, que devem ocorrer em dezembro, assumirem os lotes das rodovias. A previsão com a privatização das rodovias é de que, até o término da concessão, um trecho de 41 quilômetros da ERS-115, entre Taquara e Gramado, seja duplicado e 32 quilômetros que ligam Gramado à Nova Petrópolis seja ampliado. A previsão é de que, em até 30 anos, os 7,22 quilômetros da ERS 466, entre a localidade do Caracol e a área urbana de Canela, seja ampliado.


REIVINDICAÇÕES DE CANELA
Há um mês a Região das Hortênsias debateu, durante audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de Gramado, o projeto que vai modificar e melhorar as principais vias de acesso e tráfego de veículos na região, a ERS 235 e ERS 115. Na oportunidade, o vice-prefeito de Canela, Gilberto Cesar (PSDB), apresentou as necessidades do município quanto à concessão da ERS-235, estrada que corta e liga a cidade com outros municípios. Conforme o secretário extraordinário de Parcerias do RS, Leonardo Busatto, o processo de concessão tem sido realizado há dois anos. “A concessão poderá ser de até 30 anos, que é o que a legislação permite. É o tempo que a empresa terá para realizar investimentos e conseguir seu retorno financeiro”, comentou ele, durante o debate público.
Lombadas eletrônicas nos trechos localizados entre os bairros Jardim das Fontes e Saiqui (proximidades da Escola Municipal Barão do Rio Branco.
Instalação de paradas de ônibus
Melhor sinalização
Instalação de faixa de segurança e de redutores de velocidade, no acesso ao bairro Jardim das Fontes e entroncamento da ERS 476
Acessos ao Distrito Industrial, Cervejaria do Farol e bairro São Rafael
Acessos da ERS-466 para a Escola Machado de Assis e Parque do Caracol
Duplicação da estrada Canelinha/Saiqui

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para Pedágios privados devem melhorar estradas e oferecer mais serviços

Enviando Comentário Fechar :/

Últimas Notícias

Matérias de Capa

PUBLICIDADE Jornal Nova Época