Jornal Nova Época O Jornal do seu tempo

loader
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
<<< VOLTAR
RECESSO DO TURISMO
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

RECESSO DO TURISMO

RECESSO DO TURISMO


A Região das Hortênsias tem o turismo como principal atividade econômica. Como ocorre todos os anos, entre final de janeiro até o feriado de carnaval, é um período de recesso. Não há eventos específicos, é época de férias escolares e a preferência da população é ir para o litoral. Alguns aproveitam para dar férias a seus colaboradores e outros reformam seus negócios. Vou dar uma opinião na visão de morador e também de consumidor, afinal eventualmente visitamos atrativos na região. O ano de 2022 começou bem para o turismo. Tivemos muito movimento em vários finais de semana e feriados prolongados. O mês de julho foi de movimento recorde, pois era visível nas ruas. Porém, no segundo semestre o que se viu foi movimento caindo até mesmo nos eventos de final de ano. Ouvi de um empresário do setor hoteleiro que foi o pior dezembro dos últimos 20 anos em em se tratando de movimento. Vários empresários também relataram movimento muito abaixo do esperado. Agora então é o momento dos gestores do setor avaliarem suas atividades e também do turismo como um todo. O que está errado? O que causou o baixo movimento numa época onde deveria ocorrer o contrário? Fatores como transição política, incerteza econômica, preço das atrações, mobilidade urbana, foram algumas das situações levantadas. O fato é que o setor turístico nem sabe quantos turistas visitam a região. Os números apresentados são na base do “chute”. As praças de pedágio só contam números. Um caminhão de entregas, um ônibus de turistas ou de estudantes locais, contam somente como um número, sem detalhamento. Esse baixo movimento pode ter sido um aviso para reavaliações. Talvez tenha chegado o momento de planejar melhor nossa principal atividade econômica. Primeiro, com uma estatística mais real de número de turistas. Segundo, ouvir a opinião dos clientes. Terceiro, elaborar um calendário de eventos integrado para evitar sobreposição de atrações. Quarto, melhorar a mobilidade urbana. Quinto, equacionar custos com ingressos mais acessíveis. Sexto, remunerar melhor seus colaboradores. Sétimo, proporcionar qualificação para aumento da mão de obra disponível. Não basta apenas ficar abrindo empreendimentos e atrações, entupindo a cidade sem organização alguma. O resultado é o caos. E o caos espanta o turista que busca outras formas de lazer. A iniciativa privada e o setor público precisam planejar e trabalhar de forma integrada para a qualificação do turismo e evitar o esgotamento da atividade. Passou da hora de elaborar um plano de desenvolvimento regional.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Olá, deixe seu comentário para RECESSO DO TURISMO

Enviando Comentário Fechar :/

Últimas Notícias

Matérias de Capa

PUBLICIDADE Jornal Nova Época